Análise Sensorial: Aplicação a um Evento Gastronômico

Yandira Neto Custódio, José Edson Lara, Maria Celeste Reis Lobo Vasconcelos, Ronaldo Lamounier Locatelli

Resumo


Na literatura encontram-se várias pesquisas sobre o tema análise sensorial relacionadas a algum produto específico. A mescla entre o tema análise sensorial e gastronomia resultou nesta pesquisa, que busca percorrer um caminho pouco explorado: a análise sensorial de produtos alimentícios relacionada ao marketing de evento gastronômico. Esta pesquisa teve como propósito analisar, sob a lógica da análise sensorial, a percepção dos consumidores do evento “Comida Di Buteco”. A metodologia contou com a elaboração de um modelo de pesquisa que apresentou boas respostas do consumidor, e os resultados sinalizam a importância de utilização desta técnica no planejamento e execução do evento. Este estudo permitiu identificar os elementos determinantes e prioritários da percepção sensorial dos consumidores.


Palavras-chave


Análise Sensorial, Comportamento do consumidor, evento “Comida Di Buteco”.

Referências


ABIA. http://www.abia.org.br/vst/2_FORUM.html. Acesso em 06/06/2015.

Adade, D. (2013). “COMIDA DI BUTECO”: O botequim, um pedaço da alma carioca, em uma iniciativa de construção de comunidade virtual de marca. 91 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Empresarial) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas EBAPE-FGV. Rio de Janeiro, RJ.

Almeida, T. et al. (1999). Determinação do perfil sensorial e parâmetros de qualidade de figos em calda produzidos pela indústria brasileira. Rev. Ciência Tecnol. Aliment, Campinas, v.19, n.2, mai.

Canteras, N. S., & Bittencourt, J. C. (2013). Comportamentos motivados a emoções, em Lent, Roberto. Neurociência da Mente e do Comportamento. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan.

Collis, J., & Hussey, R. (2005). Pesquisa em Administração. 2. ed. Porto Alegre: Bookman.

Dávalos, D., & Guarderas, L. (2013). Neuromarketing: Entendiendo la mente del consumidor basado en el neuromarketing para incrementar las ventas en los supermercados del Ecuador. Tesis de grado presentada como requisito para la obtención del título de Licenciatura en Marketing, Quito, Mayo.

Dutcosky, S. (2011). Análise Sensorial de Alimentos. 3. ed. Curitiba: Champagnat.

Fagliari, G. (2005). Turismo e alimentação: análises introdutórias. São Paulo: Roca.

Grewal, D. & Levy, M. (2012) Marketing. 2. ed. Porto Alegre: AMGH.

Gupta, S. & Lehmann, D. R. (2010). Models of Consumer Value, em Wierenga, Berend, Handbook of Marketing Decision Models. Springer.

Haykin, S. (2001). Redes neurais: princípios e prática. Porto Alegre. Bookman.

Herculano-Houzel, S. (2013). Uma Breve História da Relação Entre o Cérebro e a Mente, em Lent, Roberto. Neurociência da Mente e do Comportamento. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan.

Jung, C. G. (1964). O Homem e seus símbolos. Rio de Janeiro. Editora Nova Fronteira S.A.

Lanzillotti, R., & Lanzillotti, H. (1999). Análise sensorial sob o enfoque da decisão Fuzzi. Rev. Nut., Campinas, v.12, n. 2, p. 145-157, mai-ago.

McClure, S. et al. (2004). Neural Correlates of Behavioral Preference for Culturally Familiar Drinks. Neuron, Vol. 44, 379–387, October 14.

McLuhan, M. (1967). The Medium is the Massage: An Inventory of Effects, Bantam Books.

Meneses, U., & Carneiro, H. (1997). A história da alimentação: balizas historiográficas. Anais do Museu Paulista. São Paulo. N.Sér. v.5, p 9-91 – jan.-dez.

Minim, V. (2010). Análise sensorial: estudos com consumidores. 2. ed. Ver. E ampl. – Viçosa, MG: Ed. UFV.

Mintz, S. W. (2001). Comida e antropologia – Uma breve revisão. Scielo, Revista Brasileira de Ciências Sociais. v.16, n.47, São Paulo.

Monteiro, M.A.M. (2009). Percepção sensorial dos alimentos em idosos. Revista Espaço para a Saúde, Londrina, v. 10, n. 2, p. 34-42, jun.

Morin, C. (2011). Neuromarketing: The New Science of Consumer Behavior. Society. pp. 131- 135. doi:10.1007/s12115-010-9408-1.

Murray, H. B., & Haubl, G. (2011). Interactive Consumer Decision Aids, em Wierenga, Berend, Handbook of Marketing Decision Models. Springer.

Pereira, A. et al. (2004). Análise sensorial e de conforto como referência para a certificação e a valorização do produto. In: 13°Congresso Brasileiro de Ergonomia, ABERGO, Fortaleza.

Pimenta, M. et al. (2012). Sabor e bem-estar: uma relação entre atributos de produto e valores pessoais de consumidores de marcas regionais de café. BBR – Brazilian Business Review. Vitória – ES, v.9, n.3, p. 122-144, set.

Plassmann, H. et al. (2008). Marketing actions can modulate neural representations of experienced pleasantness. Pnas, Pasadena, v. 105, n. 3, p.1050-1054, 22 ago.

Sheth, J. N., Gardner, D. M; & Garrett, D. E. (1988). Marketing Theory: Evolution and Revolution. Wiley.

Souza, C. V. (2012). Neurociências e Marketing: Explorando Fronteiras Diádicas e Integrando Metodologias para a Compreensão do Comportamento do Consumidor. Tese de Doutorado apresentada à Universidade Federal de Minas Gerais.

Uziel, D. (2013). O Desenvolvimento do Cérebro e do Comportamento, em Lent, Roberto. Neurociência da Mente e do Comportamento. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2013.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP, (Brasil). 01504-000